Prototipagem Rápida: Novos Caminhos da Joalheria

Do Computador ao Dedo.

Não podemos negar a influência que a computação tem em nossas vida cotidianas e em nossas profissões, mais ainda nas que são ligadas ao design, pois essas já namoram com a computação desde os tempos que Bill Gates e Steve Jobs tinham acabado de sair da garagem onde montaram suas pequenas empresas.

O Designer de Joias, sempre desejou que houvesse uma maneira de suas criações serem mais fiéis a sua idealização e ao seu desenho, pois por mais que os ourives fossem bons, eles interferiam (positiva ou negativamente) no resultado final do produto. Não adiantava criar peças lindas no computador e ter seus desenhos apenas como referência para que o ourives a desse vida à peça (Deixo claro aqui que a arte da ourivesaria e seus profissionais são admirados e sadiamente invejados por mim).

Hoje as coisa mudaram com o desenvolvimento da tecnologia de prototipagem rápida.

A prototipagem rápida está revolucionando a maneira que se cria e produz joias hoje.

O que é? Sabe quando escrevemos alguma coisa no computador e imprimimos? O princípio é o mesmo. O desenho da peça é desenvolvido no computador em todos os seus detalhes, logo após ele é “impresso” em uma maquina semelhante a uma impressora de mesa, porém em vez de colocar tinta sobre o papel, essa impressora depositas camadas muito finas de cera ou rezina uma sobre a outra, e com isso vai esculpindo e tornando real o objeto (protótipo) que até aquele momento era virtual.

tela2

Essa nova tecnologia coloca nas mãos do designer de joias uma poderosa ferramenta com recursos quase ilimitados, onde agora pode-se realizar praticamente tudo que sua arte desejar expressar.

Após a impressão do protótipo, ele é colocado em uma “arvore” junto a outros protótipos ou moldes de cera, e encaminhado à fundição.

Fundição

O processo de fundição é basicamente o mesmo desde a idade do bronze, claro que aprimorado um com novas tecnologias e materiais, mas o básico se mantem, onde, a partir de um molde de um material resistente a altas temperaturas (como argila, gesso ou areia) derrama-se o metal derretido e obtêm-se o produto final na forma do molde.

Apuração ou finalização.

Após a retirada do forno onde o metal em forma liquida preencheu o molde, a árvore é limpa e a nossa peça é separada das demais, ela e cada uma das outras, recebe o tratamento de ourives, onde será lixada e polida para que tenha o brilho e possa expressar toda a sua arte.